Desde quando chegou no Brasil por volta de 1908, a culinária japonesa vem crescendo e conquistando seu espaço dentre as refeições favoritas dos brasileiros. E é por isso que hoje vemos tantos restaurantes japoneses e sushi bar espalhados pelas cidades, sempre lotados e com opção de delivery. 

O que antigamente era considerado exótico e causava estranhamento, hoje é um dos nichos culinários mais presentes nas cidades brasileiras. Mas como projetar um bom restaurante japonês? Um bom projeto de restaurante Japonês é o que te ajudará a diferenciar o seu estabelecimento dos outros concorrentes. 

Para que o seu restaurante se destaque, existem diferentes possibilidades de decoração e cardápio que podem ser estudadas junto a um arquiteto especializado. Mas antes de chegar nesta fase do processo, existem outros fatores importantes a serem considerados para o seu negócio. Veja abaixo 10 dicas para projetar um restaurante japonês de sucesso:

9 Dicas para Projeto de Restaurante Japonês

Veja alguns pontos que precisa considerar antes de iniciar o projeto:

1. Conheça seu público alvo

projeto de restaurante japonês

Se você deseja abrir um novo restaurante, o primeiro passo é estudar quem serão os seus consumidores. Analisar o entorno para descobrir quem serão as pessoas que irão frequentar seu restaurante é um medidor essencial para definir o horário de funcionamento do estabelecimento, por exemplo. O cardápio também deve ser pensado para o público que você vai receber. 

Caso seu restaurante se encontre em uma área de muitos prédios comerciais, provavelmente irá lotar no horário de almoço. Estas análises contribuem para entender quais tipos de refeições e bebidas serão mais produzidas em determinados intervalos de tempo.

2. Faça um bom planejamento

Para ter sucesso no projeto do seu restaurante, o planejamento é muito importante nesta primeira fase. Planejar-se financeiramente é essencial para determinar as próximas etapas do seu projeto, por isso defina qual é o budget total disponível para investir no negócio. É importante buscar referências para entender os valores médios de investimento no projeto, para ter uma visão mais clara do valor a ser investido. 

Caso se depare com valores muito maiores do que o planejado inicialmente, não se desespere. O arquiteto poderá te ajudar a encaixar suas necessidades em um orçamento mais acessível.

Além do planejamento financeiro, você precisa planejar-se quanto aos prazos. Defina uma meta de inauguração do seu estabelecimento, sempre considerando o prazo de projeto e de execução da obra. Para entender melhor todos os valores e prazos, o ideal é que você converse com um arquiteto especializado, que te informará todos os valores e prazos de cada fase do projeto. É importante contratar o arquiteto antecipadamente, para garantir que a obra será concluída na data desejada. 

3. Contrate um arquiteto especializado

projeto de restaurante japonês

Além de te auxiliar a entender melhor os prazos e valores, um arquiteto especializado é importante para que o projeto agregue todas as instâncias do seu restaurante, desde a cozinha industrial, bar e salão, até as questões de fluxos, sanitários, acessibilidade, climatização, iluminação, dentre outros. É função do arquiteto orientá-lo quanto às principais necessidades do restaurante, ajudar a prevenir situações conflituosas de circulação,  projetar conforme as Normas Técnicas e de segurança e, é claro, elaborar um projeto de acordo com o que você espera do seu estabelecimento.

4. Utilize a cultura como referência

Para a estética do restaurante, existem diferentes linhas de decoração que podem ser seguidas, mas quando pensamos em cultura japonesa, lembramos de natureza e clareza das formas e materiais. 

Existem linguagens de decoração japonesas que são mais tradicionais, utilizando muito vermelho, lanternas de papel, símbolos e ícones japoneses. Mas também é possível trabalhar com uma abordagem mais contemporânea, utilizando materiais naturais e cores que referenciam à cultura japonesa. 

O importante é decidir qual é o estilo de decoração que mais te agrada e que combina com as refeições que você pretende servir. Para esta importante tomada de decisão, é preciso que se coloque no lugar do cliente, questionando quais tipos de sensações você deseja que o seu cliente tenha ao frequentar o seu negócio, o que fará o seu restaurante ser lembrado? Como os seus clientes irão descrevê-lo aos amigos? Tudo isso contribui para criar um partido de projeto.

5. Atente-se aos fluxos

projeto de restaurante japonês

Os fluxos de circulação de um restaurante precisam ser pensados em busca de uma otimização máxima dos serviços. O local de saída das refeições da cozinha não deve ser o mesmo onde retira-se o lixo, por exemplo. Os fluxos de cozinha precisam ser eficientes e precisos, acompanhando o processo de preparação dos alimentos. Assim conflitos de informações e atrasos dos pratos serão evitados.

No salão a circulação é igualmente importante. Os espaços entre as mesas precisam ser suficientemente confortáveis para que os funcionários possam transitar com segurança e os clientes sintam-se sempre confortáveis. Também é essencial que exista infraestrutura destinada à pessoas com deficiências ou mobilidade reduzida, visando oferecer um atendimento de qualidade a todos.

6. Projete pensando no conforto ambiental

O seu restaurante precisa ter o conforto necessário para que as pessoas queiram permanecer no espaço. Ambientes com temperaturas muito altas ou baixas e iluminação inadequada causam desconforto nos clientes, dificultando a permanência no espaço. É função do arquiteto estudar quais as melhores soluções para criar espaços confortáveis com relação à climatização e luminotécnica, além de se preocupar com uma exaustão adequada para evitar odores indesejados. 

7. Conheça o funcionamento da cozinha industrial

projeto de restaurante japonês

Uma das grandes vantagens de contratar um arquiteto especializado em bares e restaurantes é o projeto da cozinha profissional. É fundamental que a cozinha seja dimensionada corretamente, sendo este o espaço responsável pelo funcionamento adequado do seu estabelecimento. Este dimensionamento é feito com base na capacidade de atendimento do restaurante, conhecendo a média de pessoas que irá atender ao longo do dia. 

O cardápio e a quantidade de refeições que serão produzidas são importantes para definir quais equipamentos serão especificados para a cozinha, influenciando até mesmo nos tipos de torneiras a serem instaladas, por exemplo. Também é fundamental que a cozinha tenha materiais de fácil limpeza, seja bem iluminada e ergonômica, pensando sempre na qualidade das refeições servidas e em fornecer condições de trabalho adequadas para os funcionários.

8. Não deixe o paisagismo de lado

O paisagismo também precisa ser planejado desde o início do projeto do restaurante, definindo quais espécies serão adequadas para os ambientes e onde ficarão posicionadas no layout. Estas decisões influenciarão os projetos de hidráulica, por exemplo, e por isso devem ser pensadas em conjunto com o restante do projeto, evitando assim a falta de compatibilização das informações e projetos complementares. 

Antes de escolher quais espécies utilizar no projeto, é importante saber quais se adequam melhor a espaços internos e como funciona a manutenção de cada tipo de vegetação. Assim você evita escolher plantas que terão que ser substituídas em breve, ou que poderão causar maiores gastos com manutenção. Para posicionar as espécies, deve-se sempre considerar o posicionamento dos aparelhos de ar condicionado ou de aquecedores, evitando colocar as plantas muito próximas aos aparelhos.

9. Escolha materiais e mobiliários de qualidade

Escolher os revestimentos adequados é essencial para a durabilidade da sua obra. Materiais de baixa qualidade podem trazer problemas que resultam em uma nova reforma, o que faz com que o restaurante precise fechar por um período e acabe gerando prejuízos. 

É por isso que escolher os revestimentos, os metais, louças e os mobiliários junto ao arquiteto é muito importante para evitar gastos desnecessários no futuro. É muito mais interessante investir um pouco mais em produtos de qualidade, do que gastar futuramente com outra reforma e novos materiais.

Dica Bônus: Passo a passo para Projetar Restaurante Japonês

Saber quais são as etapas do projeto ajudam na organização do processo de trabalho, no planejamento financeiro e no cronograma geral de todo o processo. Dentre as principais fases do projeto, estão os seguintes itens:

1º passo: Estudo preliminar

No início do projeto, o arquiteto irá realizar o levantamento do imóvel existente, ou um estudo de viabilidade caso você ainda não tenha um imóvel definido. Nesta fase é feito um brainstorm de ideias e referências junto ao cliente, onde o arquiteto irá entender o briefing do seu negócio (todas as suas necessidades e gostos). A partir destas informações, é feito o Estudo Preliminar, uma proposta de layout e 3D com a aplicação de cores e revestimentos. Com este estudo aprovado, seguimos para a segunda fase do projeto.

2º passo: Projeto Básico

O projeto básico começa a ter mais informações técnicas, com desenhos mais elaborados (cortes, elevações, plantas de construção e demolição, plantas de estrutura, hidráulica, elétrica, luminotécnica, forro, entre outros.) Todos estes desenhos são necessários para iniciar a orçamentação da obra, juntamente com tabelas de especificações e memorial descritivo. Com os desenhos aprovados, começamos a solicitar orçamentos para as construtoras e para os fornecedores.

3º passo: Projeto Executivo

Com a pré-orçamentação aprovada e escolha da construtora, começamos a elaborar os desenhos que serão destinados a execução da obra. Ou seja, todos os desenhos do Projeto Básico acrescidos de ampliações e detalhamentos. Nesta fase o arquiteto irá compatibilizar o projeto desenvolvido com os projetos complementares, certificando-se da veracidade de todas as informações. Após a compatibilização, conseguimos chegar em um orçamento final e iniciar a obra.

4º passo: Obra

Durante a obra, é função do arquiteto realizar o acompanhamento da obra, caso tenha sido contratado pelo cliente. O acompanhamento consiste em ir até a obra em um intervalo de tempo definido junto ao cliente (normalmente semanal), para certificar-se que tudo está sendo executado conforme o projeto, tirando dúvidas caso necessário e produzindo novos desenhos conforme a necessidade ao longo da obra. 

O gerenciamento da obra normalmente é feito pela construtora e consiste em manter um cronograma de obra atualizado, fornecer mão de obra qualificada durante todo o período de execução e coordenar os terceirizados contratados.

Todas estas etapas são importantes para concluir a obra do seu restaurante com sucesso. Contratar uma equipe qualificada de projeto e obra faz toda diferença ao montar um restaurante. O projeto arquitetônico é essencial para que seu negócio se destaque e você aumente as chances de fidelizar os clientes.

Um bom projeto de restaurante japonês deve ser capaz de fazer com que o cliente aprecie a cultura japonesa apenas através da refeição e do ambiente. O arquiteto é o profissional que irá te ajudar a construir experiências incríveis para os seus clientes. 

Por isso, quando você precisar de ajuda para desenvolver um projeto de restaurante japonês, conte com o NeoGourmet Arquitetura. Será um prazer construir este projeto com você!

× Como posso te ajudar?